E as férias terminaram…

09.01.2017  

Eu devo confessar uma coisa: o verão pra mim sempre foi uma estação desagradável, mas eu descobri o porquê. Quando eu estava na escola, a volta às aulas era frustrante… Todos tinham passado férias na casa da praia e eu passava as férias no mesmo lugar de sempre, na casa da minha vó (a casa da minha vó fica a 15 minutos de casa, nada demais). E sempre no primeiro dia de aula, eu odiava a rodinha que os professores faziam pra gente contar sobre nossas férias e o que tínhamos feito de legal.
Minhas férias sempre se resumiram em: brincar na rua sem ter hora pra tomar banho pra ir pra escola, fim. Ai a gente já vai crescendo frustrado, né? Hahahaha.

Na adolescência era pior… Meus amigos sempre iam pra casa e eu já não ficava mais na minha vó. A recordação que tenho é que eu ficava horas e horas na frente da TV assistindo a programação de verão da MTV. Enquanto eu sonhava em ter o meu summerlove, meus amigos estavam lá curtindo dentro do mar ou da piscina.

Pela primeira vez, eu curti minhas férias inteira. Não, eu ainda não consegui passar um temporada na casa da praia, e muito menos consegui morar num prédio que tenha piscina. Graças a Deus, a minha amiga tem um tio que é super legal e emprestou a piscina pra gente tostar um pouquinho.

Como já era de se esperar, eu fiquei todo vermelho. E sim, eu passei protetor solar. Mas o que acontece com um ser que não vê sol há anos e decide tomar um banho de piscina? Isso mesmo, ficar um camarão, rs.

Minhas férias foram uma delicia. Além desses dias na piscina, nunca fui tantos dias ao shopping como esses últimos dias. E encerro o post dizendo que já tô pensando nas próximas…

O mundo de uma editora da Runaway

04.01.2017  

Raony Dizzara tem 26 anos, mora em Santos, e é formado em moda. Desde que eu o conheço, sempre foi muito dedicado. Certa vez, navegando na internet, vi uma matéria sobre uma coleção de Barbies e, quando me dei conta, a matéria estava falando da coleção de Barbies dele.

Além de produzir todas as fotos, pensando em cada detalhe, ele ainda costura as peças de roupas para compor os looks delas. O trabalho é bem minucioso e o resultado é lindo de ver.

“O dia a dia de uma Editora de Moda tamanho miniatura trabalhando no mundo fashion de gente grande.” – É assim que Raony descreve seu trabalho no Instagram, onde publica fotos das suas Barbies.

Em seu aniversário do ano passado, se deu uma Barbie de presente, daquelas baratinhas de R$29,90, e hoje tem 29 bonecas, das quais ele tira as fotos.

A história do Raony se parece com a minha. Quando pequeno, ele ficava vendo sua madrinha fazer vestidos de noiva e festa no ateliê dela, e, partir disso, ia fazendo roupas para seus bonecos com os retalhos de tecidos que ela dava.

Conforme fui crescendo a vontade foi aumentando ao brincar de boneca com as minhas amigas. E por fim acabou eclodindo em um concurso na faculdade, onde eu tinha de fazer uma releitura de um período histórico em uma Barbie. Na época, minha amiga quem emprestou uma boneca dela, mas depois de uns quatro anos, no meu aniversário ano passado, comprei a primeira pra voltar a fazer roupas em pequena escala e fui me encantando por outras com a aparência diferente da Barbie loira e tradicional.

As fotos que ele faz são lindas e cheias de informações maravilhosas, com um milhão de detalhes em cada uma delas. Ele gosta de retratar as Barbies como se fossem pessoas de verdade, que fazem parte do mundo da moda.

As inspirações costumam ser bem extremas. Ou são inspiradas em alguma tendência vigente, ou até mesmo em situações e imagens mais abstratas. Mas também amo quando posso retratá-las de forma mais abstrata e fantasiosa. Então as composições sempre transitam entre estes dois lineares.


Eu não sei vocês, mas ver umas coisas lindas assim dá até vontade de fazer uma coleção também, hahahah.

Pra quem quiser acompanhar o trabalho do Raony, o Instagram é @barbielagerfeld.

E acabou 2016

30.12.2016  

Esse ano foi realmente um ano de aprendizado. Muitas vezes nós queremos coisas e queremos pra ontem, quando, na verdade, se elas acontecessem na hora que a gente quer, elas não seriam tão valorizadas.

Pra quem ainda não sabe, ou sabe só por cima da historia, eu vou contar um pouquinho de como o Ateliê começou…

Me formei em 2014, e nos últimos semestres da faculdade começa a pressão de “o que eu vou fazer da minha vida agora?”, e com ela, me despertou a vontade de ter alguma coisa minha. Abrir um negocio hoje em dia é um ato bem corajoso e requer bastante paciência (eu como bom ariano não tenho muita). Chamei sua amigas pra abrir um e-commerce de camisetas de streetwear, mas não deu certo (fora os outros projetos que eu tinha com outras amigas dentro da faculdade que também nunca foram pra frente), e ai eu resolvi que ia trabalhar com noivas.

Mas Leozinho, por que noivas? De camiseta você foi pra noiva?
Sim, eu fui. E, apesar de eu entrar na faculdade batendo o pé e dizendo que nunca trabalharia nessa área (quem cospe pra cima, toma na testa, né?), noiva foi uma área que me permitiu mexer com sonhos das pessoas. Da mesma forma que é uma coisa linda, é uma coisa que envolve responsabilidade pra caramba.

Eu comecei a trabalhar numa loja de vestidos de noiva assim que me formei. NUNCA tinha tido contato com um vestido de noiva, e entrei na cara e na coragem. Aprendi MUITA coisa, porém fiquei apenas 3 meses trabalhando lá por motivos que não vem ao caso… E ai, nesse meio tempo, conheci a Samantha. A Samantha era uma doida-engraçada que era minha chefe. A nossa amizade parecia que tinha vindo de lá de fora e de muito tempo atras, mas ninguém acreditava muito. E ai a gente foi embora daquela loja e montamos nosso próprio ateliê. Loucos? MUITO! Durante 6 meses nós tivemos que sobreviver com vestidos de festa que a gente fazia pras vizinhas, e, na virada do ano, decidimos que nosso forte mesmo era vestido de noiva. Repaginamos tudo e começamos a fechar contrato sem ter um vestido de noiva no ateliê. E desde então, estamos trabalhando com sonhos de lindas noivas que confiam no nosso trabalho.

E como eu falei ali em cima, minha experiência era bem pouca, apesar de já ter aprendido o básico naquela outra loja. É super comum alguém me dizer “nossa, mas você costura tão bem, eu não sei costurar nem um botão”… Acontece que, assim como todo mundo, eu aprendi a costurar (e se você quiser, você também pode!). E ai, como sempre fui muito curioso em aprender as coisas, eu juntei o que eu aprendi lá com coisas que eu procurei na internet mesmo.

Em 2016 eu pude dizer pra mim mesmo que eu sou capaz de contribuir pra a realização do sonho das minhas noivas. Claro que eu dependo também da minha equipe, afinal, a gente faz um trabalho que depende um do outro, mas o sentimento de realização é intransferível.

E, como nem só de trabalho se faz o homem, o lado pessoal também teve acontecimentos, né? Foram bons, foram ruins, foram de dar desespero… Mas to super vivo! Eu sorri, chorei, ri até doer a barriga, fiquei estressado… Mas, posso dizer que esse ano eu aprendi a ter mais paciência.

2016 não foi tão ruim, mas também não foi tão maravilhoso. Eu daria 4 estrelas, rs.

E o seu? Como foi?

Meu amor pelo Mickey Mouse

27.12.2016  

Uma parte do que eu consegui juntar para a foto

Creio que a maioria das pessoas já perceberam o quão grande é meu amor pelo Mickey, né? Esse amor me acompanha desde que eu era pequenininho. Não sei como e nem quando começou, mas sei que está até hoje.

O fato é que eu vou ganhando/comprando muita coisa e to fazendo uma coleção de coisas (iguais aquelas dos 90′). Até ano passado, eu era louco pra ter alguma camiseta do Mickey e, até então, só existia coleção feminina da Disney. Até que a Riachuelo lançou uma coleção maravilhosa e me fez ter, não sei uma, mas várias peças de roupa com o meu ratinho preferido. Desde então, descobriram que meninos também gostam de desenhos da Disney e várias lojas começaram a aderir. Não é mais difícil achar uma camiseta linda masculina com a estampa dele. Inclusive, eu queria todas, mas todas não dá pra ter… $!

É engraçado como uma coisa marca você pra outras pessoas. Eu vivo ouvindo “outro dia estava em tal lugar e vi um negocio do Mickey e lembrei na hora de você”

Aliás, quando eu era pequeno, minha mãe sempre fazia festas de aniversario temáticas pra mim e pro meu irmão, e por alguma manobra do destino, quem teve a festa do Mickey foi meu irmão. E como minha mãe não gostava de repetir personagens, eu fiquei sem minha festa até eu resolver fazer uma pra mim. No aniversario de 21 anos, eu me dei minha festa do Mickey e ainda foi toda personalizada. Eu cuidei de cada detalhe da festa e toda a decoração foi feita por mim.

Um dia eu ainda irei pra Disney e vou contar tudinho aqui pra vocês, rs. Enquanto isso, vou colecionando as coisas daqui mesmo. As que são acessíveis, pelo menos.

Outra coisa que eu fazia coleção era de pôsteres/revistas da Avril Lavigne, mas isso fica pra um outro dia, porque o assunto de coleção rende, né?

Dica de perfume: Um dos meus preferidos

25.12.2016  

Não é novidade pra ninguém que eu sou apaixonado por perfumes. Afinal, quem não gosta de alguém cheiroso, não é? Pois então, nesse natal eu troquei presente com uma amiga quase que de infância pela primeira vez. E ela me deu o meu perfume preferido!

Eu gosto de perfumes doces, mas nem tão doces. E esse perfume pra mim é perfeito pra usar em qualquer ocasião. Dá pra passar de dia, de noite, no frio, no calor… E toda vez que eu o uso, tenho a sensação de que tô fresquinho e de banho tomado.

Conheci esse perfume através de uma amiga. Lá pelos meus 20 anos, quando saíamos de balada, conversávamos sobre perfumes e ela me apresentou esse, foi amor a primeira cheirada, rs. Desde então esse perfume nunca mais faltou na minha vida. Ele não é um dos mais baratos, mas também não é caro. O valor dele pode variar dependendo de onde você procurar, mas a faixa de preço é de R$219,00 o de 30ml.

O meu é o de 30ml e dura em média 1 ano (alternando com outro perfume). No site da The Beauty Box diz o seguinte:

A fragrância Pi Eau de Toilette, da Givenchy, possui fragrância amadeirada oriental, com notas de flor de laranjeira, tangerina, alecrim e manjericão. Indicada para homens aventureiros, sonhadores, conquistadores e acima de tudo apaixonantes.

Dito isso, vale a dica pra experimentar. Vai lá naquela loja do shopping com um milhão de perfumes e procura por ele. E fique a vontade também pra me sugerir algum perfume, prometo que vou dar uma vasculhada numa dessas lojas!

Este post não é um publieditorial. Aqui foram expressadas opiniões pessoais.

De volta mais uma vez

20.12.2016  

É engraçado como eu já fui e voltei tantas vezes desse mundo blogueiro. É mais engraçado ainda que todas as vezes eu volto pra ficar e, em todas as vezes, eu vou embora.

O fato é que dessa vez estou mais disposto a voltar e permanecer aqui. Faz bastante tempo desde a minha última ida, e sempre me bateu a saudade, mas nunca o suficiente pra me fazer tirar horas do meu dia pra me dedicar a essa volta. E então, nas minhas férias de fim de ano, eu resolvi que voltaria e coloquei a mão na massa…

Infelizmente, eu fui e voltei tantas vezes que meus arquivos acabaram se perdendo pela internet e eu estou começando do zero (de novo). Muitas coisas precisam ser arrumadas aqui, e vou colocando a casa em ordem na medida do possível (o Leozinho está bem enferrujado, tenham paciência), mas os planos são bem grandes pra ficarem só no papel e conforme as coisas forem acontecendo, eu vou deixando vocês informados.

Ainda estou me sentindo uma barata tonta no meio de tanta coisa, e vocês podem me dar sugestões de posts, tá? Não fiquem tímidos que o Leozinho é gente boa!